quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Grandes Clássicos - Flamengo x Bangu 1966

Grandes Clássicos - Flamengo x Bangu 1966

Olá amigos!

Como eu havia prometido, vou contar aqui para vocês uma das centenas de histórias que faz o Campeonato Carioca ser o meu preferido entre todos os disputados por clubes. Nesta segunda rodada do campeonato de 2009, poderemos assistir o embate entre Bangu e Flamengo. Parece lenda quando falam que o Bangu já foi considerado um dos grandes times cariocas, mas é a mais pura verdade. Mostrarei para vocês um grande jogo entre o alvi-rubro de Moça Bonita e o rubro-negro da Gávea.

Campeonato Carioca de 1966. O Bangu, como ocorrera nos dois anos anteriores, estava perto do título. Em 1964 e 1965 deixara escapar a taça no final, ficando em ambas as vezes com o vice-campeonato. A base da equipe comandada pelo técnico argentino Alfredo Gonzalez era a mesma montada pelo antigo e lendário treinador Tim. A arma principal do time era o ataque utilizando os lados do campo. O ponta-direita e um dos maiores jogadores da história do time era Paulo Borges. Veloz e letal, tirava o sono dos laterais que teriam que o marcar. Era tão rápido que recebeu o apelido de “Gazela”, e tão goleador que se sagrou o artilheiro do campeonato ( seria também o artilheiro do carioca de 1967 ). Pelo lado esquerdo do time, Aladim, que mais tarde faria história no Curitiba conquistando 6 títulos estaduais, era quem infernizava as defesas. O Bangu neste campeonato de 66 teve além do já citado artilheiro Paulo Borges, o melhor ataque ( 50 gols marcados ) e a melhor defesa ( 8 gols sofridos ). Se no ataque os pontas eram o ponto forte, na defesa quem mandava era Fidélis. O jogador tinha um porte físico tão privilegiado que foi apelidado de “Touro Sentado”. Sua grande importância para o time refletiu em sua convocação para a Copa do Mundo de 1966.

E o Flamengo? Para mostrar a força do time, é só falarmos que ele buscava o bicampeonato, pois havia sido o campeão de 1965. Para mostrar a qualidade técnica do time, lembremos de Carlinhos. Muito conhecido dos torcedores por seu papel como treinador bicampeão brasileiro em 1987 e 1992 pelo próprio clube da Gávea, Carlinhos era tão técnico, elegante e clássico, como jogador, que o conheciam como “Violino”. E a raça que todo rubro-negro exige, estava presente em Almir. Almir Pernambuquinho chegou no Flamengo para ser ídolo após ter atuado no Vasco e trouxe, em sua bagagem, o título Mundial de Clubes de 1963, pelo Santos, substituindo no jogo decisivo ninguém menos que Pelé. Jogador de qualidade incomum, até para época, Almir às vezes confundia raça com briga. Arrumou muitos problemas por este motivo, sendo sempre adorado pelos torcedores de seu time e odiado pela torcida adversária.

Vamos então ao jogo. No dia 18 de dezembro de 1966 o Maracanã recebia um público de 143978 torcedores. Estádio lotado para saber se o Flamengo de Almir seria bicampeão ou se finalmente o Bangu de Paulo Borges levaria o troféu. Antes mesmo de iniciar a partida, já temos história pra contar. Em seu livro “Eu e o futebol”, Almir relata com todos os detalhes que o juíz Aírton Vieira de Morais e o goleiro rubro-negro Valdomiro estavam comprados pelo Bangu do cartola Castor de Andrade. Se é verdade ou mágoa de quem perdeu o título nunca iremos saber. Bola rolando e apesar de o Flamengo criar chances defendidas pelo goleiro alvi-rubro Ubirajara, Paulo Borges arrasa em campo e o Bangu sai para o intervalo vencendo por 2 a 0. O Flamengo voltou esperançoso para o segundo tempo, mas o próprio Almir nos conta o que ocorreu: “Logo aos 3 minutos, ficamos grogues: outro gol do Bangu. Houve um lançamento em profundidade para Paulo Borges, que fez uma jogada sensacional e marcou um dos gols mais bonitos da história do Maracanã. Ele deu um chapéu em nosso zagueiro Ditão para um lado, para o outro e, com a bola ainda no ar, deu um chute violentíssimo, indefensável.”.

Depois deste gol, o Flamengo e, principalmente, Almir ficaram com o sangue quente. Após uma discussão entre o atacante banguense Ladeira e o zagueiro flamenguista Paulo Henrique, alguns jogadores foram separar o bate-boca e Almir foi botar fogo na briga. Deu-se início a uma das maiores pancadarias da história do futebol carioca. Almir socava e chutava tudo de vermelho e branco em sua frente. A torcida gritava: Por-ra-da! Por-ra-da! Por-ra-da! E ninguém conseguia parar Almir e a briga. Após o fim do tumulto, o juíz expulsou 5 jogadores do Flamengo e 4 do Bangu. Assim o jogo terminou por falta de atletas no time rubro-negro aos 25 minutos do 2o tempo. Bangu campeão carioca de 1966.

Bangu 3 x 0 Flamengo
18 de dezembro de 1966
Maracanã – Público: 143978 torcedores
Gols: 1o tempo: Ocimar ( Ban ) aos 23’ e Aladim ( Ban ) aos 26’; 2o tempo: Paulo Borges ( Ban ) aos 3’.
Flamengo: Valdomiro; Murilo, Jaime, Itamar e Paulo Henrique; Nelsinho e Carlinhos; Carlos Alberto, Almir, Silva e Osvaldo.
Bangu: Ubirajara; Fidélis, Mario Tito, Luiz Alberto e Ari Clemente; Jaime e Ocimar; Paulo Borges, Cabralzinho, Ladeira e Aladim.

16 comentários:

  1. PVC Jr., ta mandando muito bem diano, so tem q melhorar o visual do blog, mas de conteudo ta otimo!!
    abss

    ResponderExcluir
  2. FABIANO DE ALENCAR DA CONCEIÇÃO2 de fevereiro de 2009 12:47

    DIANO VELHO DE GUERRA!!

    ESSE CAMPEONATO FOI O ÚLTIMO TÍTULO IMPORTANTE DO BANGU.

    SEGUNDO MEU PAI O CASTOR O JUIZ E O GOLEIRO DO FLAMENGO MESMO, POIS O FLAMENGO FOI PREJUDICADO DURANTE O JOGO COM INVERSÕES DE FALTAS E TUDO MAIS.

    ResponderExcluir
  3. Triste saudosa memória. Eu estava no Maracanã e presenciei como rubro-negro desde 1954, cearence, residindo no Rio de Janeiro, o time do Bangu, deixar o mais querido do Brasil a ver navio. O tal Paulo Borges acabou com a zaga do mengão, enquanto o Almir deu um show de briga, o pau comeu, foi uma grande decepção para mim! Economista J Jaconias de Araújo, rubro-negro até morrer, Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco, Brasil. E-mail: jjaconias@ig.com.br

    ResponderExcluir
  4. PASSEI A TORCER PELO BANGU A PARTIR DESSE TÍTULO, ATÉ ENTÃO TORCIA PELO BOTAFOGO, QUE POR INCRÍVEL QUE PAREÇA DERROTOU O BANGU NO ANO SEGUINTE, TIROU O BICAMPEONATO DO BANGU, TINHA NA ÉPOCA 14 ANOS E LEMBRO DAS FESTIVIDADES NO BAIRRO DE BANGU, APÓS A VITÓRIA DE 3 A 0 SOBRE O FLAMENGO, EM 1966. SOU BANGUENSE.

    ResponderExcluir
  5. EU estava no maracanã neste dia. Enteressante que ninguem fala da agreção que Carlos Alberto sofreu, no inicio do jogo agressão para ser espulso inutilisou o jogador do Flamengo. Flamengo com 10 homens. Outro detalhe, quem começou a briga foi o Araras , que agrediu Paulo Henrique na lateral do campo . Claro Almir viu partiu para cima do Araras,conclusão, FLAMENGO pagou o pato

    ResponderExcluir
  6. Incrivel. Somente o Cesar comentou. O Flamengo na verdade estava partindo pra cima, muito mais perigoso, com o ponta direita Carlos Alberto. Eu estava no maracanã. O Carlos Alberto ia invadir a área e marcar. Era um jogador que nos lembrava o Garrincha, ninguém o segurava. Estava 0 x 0. O lateral do Bangu, Ari Clemente, lhe deu uma tesoura por tras. Quebrou a perna do Carlos Alberto, que nunca mais jogou futebol (tinha até pouco tempo uma padaria em Araruama). Depois, a culpa do tumulto foi do Flamengo. Uma das maiores injustiças que já vi. O Ari Clemente nao recebeu nem cartao. Não me lembro se marcaram falta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nesse lance começamos a perder o título ! Eu também estava lá !

      Excluir
  7. Concordo com o comentário do amigoApesar de ser fluminense lembro muito bem do Carlos Alberto, ponta direita do Famengo.O Ari Clemente acabou com a carreira de um CRAQUE.fOI UMA DAS INJUSTIÇAS DO fUTEBOL!

    ResponderExcluir
  8. EU TAMBEM ESTAVA NO MARACA NAQUELA TARDE DE DOMINGO. O BANGU TINHA UM SENHOR TIME DE FUTEBOL, MAS O FLAMENGO TAMBEM ERA UM BOM TIME, TANTO QUE VENCERA NO 1º TURNO POR 2 X 1 DE VIRADA; PESSOA LIGADA AO CLUBE JÁ FALECIDA, ME RELATOU ANOS DEPOIS, QUE REALMENTE O VALDOMIRO ESTAVA VENDIDO, ASSIM COMO O GOLEIRO DO BANGU TAMBEM ESTAVA VENDIDO PARA O FLAMENGO, MAS O CASTOR AO TOMAR CONHECIMENTO, ENTROU NO VESTIARIO DO BANGU E RELATOU. M DOS NOSSO ESTÁ VENDIDO E, SE TOMAR GOL VAI MORRER, SE REFERINDO AO GOLEIRO, QUE POR SUA VEZ FECHOU O GOL, NÃO DEIXANDO PASSAR NADA. DAÍ FOI A RAIVA DE ALMIR, PORQUE O ATAQUE DO FLAMENGO CHEGAVA MAS NÃO MARCAVA, POR SUA VEZ, TODAS AS BOLAS CHUTADAS DE ENCONTRO AO GOL DO FLAMENGO ENTRAVAM. FOI QUANDO O ALMIR ACABOU COM O JOGO BATENDO EM TODO MUNDO.

    ResponderExcluir
  9. Como a emoção faz as pessoas escreverem bobagens. O Flamengo, como desde sempre, tenta ganhar os jogos primeiro no arbitral, forçando a escalação de juízes que lhe favoreçam. Depois vem com chororô. Na história do futebol carioca, em todos os tempos, esse time do Bangu é considerado um dos dez mais. E aquele time rubro negro, cá entre nós, era fraquinho. O Almir, sempre foi mau caráter, covarde e marginal, tipo de jogador que o fla adora até hoje. Inclusive cuspiu na cara do Amarildo, só porque este jogava no Milan. O resto, foi um baile do começo ao fim como jamais visto no Maracanã!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O FLAMENGO TENTAR ROUBAR, AGREDIR COM JOGADORES MARGINAIS E CHORAR QUE NEM CRIANCINHA? ONDE EU JÁ VI ISSO? AH! LEMBREI! O GOLEIRO ASSASSINO, O MESMO QUE QUERIA JOGAR PELA SELEÇÃO BRASILEIRA E HOJE VAI JOGAR NO MÁXIMO NO TIME DE BANGU 1 (!!!!!!!) TIME DE CRIMINOSOS É ISSO AÍ!

      Excluir
  10. A história narrada acima conta que no terceiro gol do Bangu, o Paulo Borges deu um chapéu para um lado e para o outro no Ditão.
    deve haver algum engano pois o Ditão não participou desse jogo e o lance foi um lançamento do Cabralzinho que encontrou o Paulo Borges livre pela direita e chutou marcando ogol.

    ResponderExcluir
  11. Perfeito, Anônimo ! O zagueiro daquele jogo foi o Itamar, aquele que mandou o pé no peito do Ladeira. O Paulo Borges realmente fez um gol dando dois lençóis no Ditão, mas isso foi em 1965 em um domingo chuvoso em que o Bangu venceu por 3 x 0
    Aí está:
    https://www.youtube.com/watch?v=Ii89JHTJBGY

    ResponderExcluir
  12. Sou Flamengo, mas não quero justificar a derrota, nem ficar de chororo, mas lembrem de alguns detalhes: Além do Carlos Alberto, o Nelsinho também se machucou e voltou com proteção no joelho, ou seja, o Flamengo praticamente jogou com 9 homens. Porém , há de reconhecer a melhor atuação que foi do Bangu. Se Waldomiro estava comprado, nunca vamos saber, mas o primeiro gol do Bangu foi meio estranho; pareceu que ele espalmou a bola para dentro do gol, já os outros dois, impossivel defender !

    ResponderExcluir
  13. Valdomiro foi meu professor de educação física aqui em Curitiba. Certa vez eu lhe mostrei uma revista Placar que contava esta história e, ele nos confirmou que havia se vendido.Enfim, ele faleceu há 22 anos e não sei se ele falaria disto hoje.

    ResponderExcluir
  14. Se é assim , Fernando, explica-se um pouco a derrota.

    ResponderExcluir