segunda-feira, 13 de abril de 2009

SEMI-FINAL DA TAÇA RIO 2009

Vasco 0 x 4 Botafogo - Maracanã
Flamengo 1 x 0 Fluminense - Maracanã

Olá amigos do FUTEBOLA!

O fim de semana do futebol carioca foi espetacular. Tanto sábado quanto domingo, o Maracanã esteve lindo. No clássico Vasco x Botafogo, o Fogão devolveu a goleada sofrida na fase de grupos com uma atuação destacadíssima de Maicosuel. Já no clássico Fla-Flu, Íbson mostrou que ainda é uma dos melhores jogadores do país e comandou o Flamengo na conquista da vaga para a final da Taça Rio. Vamos aos fatos que mais se destacaram nestes dois jogões.

MANDOU BEM!

- Estava um pouco receoso com os inúmeros elogios que o ataque do Botafogo vinha recebendo pelas boas atuações no Campeonato Carioca. “Trio Elétrico”, “Trio Ternura” e “Máquina Mortífera” foram alguns dos apelidos dados ao trio Maiocosuel / Reinaldo / Victor Simões. Querem saber a verdade? O receio virou empolgação. Que futebol maravilhoso esses três estão mostrando. A atuação de Maicosuel no clássico contra o Vasco foi encantadora, assim como seu primeiro gol. O seu modo de correr, de driblar, de chutar, sempre de cabeça baixa, pode ser estranho, mas é esse jeito diferente que faz seu futebol cada dia mais fascinante. Como ele acertou aquele chute sem olhar pro gol? Sorte? Duvido. E ele ainda fez mais. Iniciou a jogada do gol de Thiaguinho, realizou o cruzamento que resultou no gol do lateral Gabriel e marcou o quarto e derradeiro gol do jogo. Este último gol, é o espelho da força ofensiva alvi-negra. Reinaldo arrancou com a bola e a sua frente estavam Maicosuel e Victor Simões, a bola foi para Victor e numa fração de segundos até Maicosuel, que só teve o trabalho de balançar as redes. Linda triangulação. Lindo gol. Reinaldo e Victor Simões podem ter aparecido menos que Maicosuel, porém a velocidade do primeiro e os passes do segundo foram de grande importância para a goleada de 4 a 0.

- O Vasco possui uma certa força nas jogadas pelas laterais, tem alguma qualidade para jogar no contra-ataque e sempre leva perigo aos adversários nas jogas de bolas aéreas, porém é inegável que a fonte de inspiração do time é Carlos Alberto. O primeiro passo para minar as chances de vitória do Vasco em um duelo é saber como anular Carlos Alberto. E o Botafogo soube. Na verdade, Leandro Guerreiro soube. Com mais uma excelente atuação de Leandro, colado praticamente todo o tempo em Carlos Alberto, o sistema defensivo botafoguense, com exceção do início do 2º tempo, teve um jogo tranquilo. Tem uma certa lógica que a atuação ofensiva do Botafogo receba grande destaque, afinal é de gols, dribles e bonitas jogadas que o povo gosta, entretanto seria a maior injustiça não creditar uma grande parte desta vitória à Leandro Guerreiro, que cumpriu com excelência a ingrata missão de anular Carlos Alberto.

- É inegável que Maicosuel está vivendo um momento mágico, Carlos Alberto, com exceção desta última partida, realizava um campeonato impecável, e o retorno de Thiago Neves ao Fluminense empolgou a torcida e o próprio time tricolor. São estes três, os meias que ganhavam os holofotes do Carioca. Porém, a rodada semi-final trouxe de volta às primeiras páginas o rubro-negro Íbson. No clássico ele mostrou tudo aquilo que o fez ser, em 2008, um dos jogadores de maior destaque do país. Sempre presente na marcação e na criação de jogadas, esteve, literalmente, em todos os setores do campo. Sua capacidade de fazer a transição defesa/ataque é impressionante e quando ele assume a responsabilidade de organizador, é difícil segurá-lo. Nesta partida contra o Fluminense, Íbson foi o maior responsável pela equipe rubro-negra não ficar trancada em seu campo defensivo sofrendo pressão no final do jogo. A torcida do Flamengo já está rezando para que, de alguma maneira, ele não vá embora ainda neste mês.

- A escalação escolhida pelo Cuca para o clássico é uma prova de que uma equipe pode sim ter mais de 11 titulares. O jogo contra o Fluminense exigia um maior equílibrio no meio de campo e a opção de Kléberson no lugar de Erick Flores se mostrou corretíssima. Mesmo sem fazer uma excelente partida, Kléberson esteve planatado em frente aos zagueiros dando a proteção necessária para a defesa e não deixando Conca e Thiago Neves terem espaço. Sem poder contar com Éverton Silva fazendo a função de 3º zagueiro pela direita, o jovem Aírton ocupou a posição e em vários momentos foi possível assistí-lo acompanhando Thiago Neves. Esta alteração mostra que quando o Flamengo precisar ser mais incisivo pelo lado direito, pode contar com Éverton Silva e, caso precise de maior proteção, Aírton será o escolhido. O maior beneficiado por estas opções do Cuca foi Juan, que atuou uma liberdade ofensiva impressionante, sendo a principal arma do Flamengo. Esta partida foi sem sombra de dúvidas a melhor apresentação de Juan em todo ano de 2009 e o lateral-direito botafoguense Alessandro já deve estar começando a se preocupar.

MANDOU MAL!

- Se precisasse de uma única palavra para dizer o que faltou ao Vasco na goleada sofrida frente ao Botafogo, eu responderia: tudo. Faltou ao sistema defensivo encurtar os espaços de Maicosuel (algo semelhante ao que Leandro Guerreiro fez com Carlos Alberto). Faltou ao meio-de-campo a criatividade para que as jogadas conseguissem furar a defesa botafoguense. Faltou saber concluir com eficiência as raras chances que o time conseguiu criar. Faltou Ramón partir para cima de Alessandro Faltou Carlos Alberto se movimentar para fugir da marcação Faltou a garra que poderia ser tirada da torcida que apoiou o jogo todo. Faltou vibração a cada lateral conquistado, a cada roubada de bola... Por isso prefiro ser mais simples: Faltou tudo ao Vasco.

- Mesmo com a vitória obtida no Fla-Flu, a carga horária de treinamentos do Flamengo deveria ser dobrada esta semana. Fosse eu o Cuca e cada jogador rubro-negro seria obrigado a ficar horas treinando finalizações após o fim do expediente. No caso do clássico deste último domingo, os inúmeros gols perdidos pelo Flamengo não fizeram diferença, porém vitórias, e até campeonatos, deixam de ser conquistados por falhas de conclusões. O número de chances criadas pela equipe rubro-negra deve ser elogiado, porém a quantidade de gols perdidos merece ser, e muito, criticada. Se você não pôde assistir a partida e quer um exemplo do que estou falando, assista apenas o gol perdido por Josiel no finalzinho da 1ª etapa. É a ilustração perfeita.

- O Fluminense não conseguiu parar o Flamengo. Fosse com a defesa postada ou sofrendo contra-ataques, o tricolor em nenhum momento bloqueou o Flamengo, teve o controle da situação. Com menos de 15 minutos de jogo já era possível perceber que o lado direito da defesa do Fluminense era o verdadeiro caminho para o El Dorado e, mesmo assim, nada foi feito para incomodar Juan, que atacava por ali. Como sofreu o lateral-direito tricolor Mariano. O desespero do Fluminense com o ímpeto ofensivo flamenguista foi tão grande que a equipe levou nada menos do que 7 cartões amarelos contra 1 do Flamengo. Some a esta incapacidade defensiva, erros individuais (o frango sofrido por Fernando Henrique e o presente dado por Luiz Alberto à Léo Moura são exemplos) e falta de inspiração dos craques, que está dissecada a fraca atuação do Fluzão.

ENQUANTO ISSO NA ALEMANAHA...

A última rodada da Bundesliga foi de lascar. Vou cometar aqui alguns resultados importantíssimos para o andamento do torneio.

- Fora de casa o Wolfsburg venceu o Borussia M´Gladbach por 2 a 1 e manteve sua incrível e invicta campanha no 2º turno. Agora a equipe dos brasileiros Josué e Grafite já soma 9 vitórias seguidas, caminhando com autoridade para o título do torneio.

- Após ser, literalmente, surrado por Wolfsburg (5 x 1 na Bundesliga) e Barcelona (4 x 0 na Champions League) o Bayern de Munique deu uma alegria a sua torcida, goleando por 4 a 0 o fraquíssimo time do Eintracht Frankfurt e manteve-se na cola do líder Wolfsburg.

- Realmente após a contusão do bósnio Ibisevic, acabou o conto de fadas para o Hoffenheim. Com uma derrota em casa por 2 a 0 para o Bochum, o time agora encontra-se 7 pontos distante da zona de classificação para a Champions League. E lembrar que o Hoffenheim conquistou o primeiro turno com seguidas atuações de gala. Para algumas equipes, uma andorinha faz sim verão.

Agora irei realizar os comentários sobre os jogos que consegui assistir. Foram eles: Hannover x Hertha Berlim e Stuttgart x Hamburgo.

- O Hertha apresentou um futebol de baixo nível contra o fraco time do Hannover e conseguiu sua terceira derrota seguida na competição. Já é de conhecimento, de quem acompanha a Bundesliga, a fraquíssima qualidade defensiva do Hannover, fato que deveria fazer o time de Berlim, mesmo atuando fora de casa, atacar com tudo para conquistar os três pontos. O que se viu em campo, porém, esteve longe disso. Os brasileiros Cícero e Raffael, além do ucraniano Voronin, que são a fonte de inspiração da equipe, estiveram péssimos. Some a esta ruim atuação do ataque, a ausência do zagueiro Friederich, que fez com que a equipe não mostrasse nenhuma segurança defensiva e sofresse dois gols nas pouquíssimas vezes que o Hannover ameaçou. Placar final: Hannover 2 x 0 Hertha. O sonho de levantar a taça está ficando mais longe de Berlim.

- O Stuttgart está chegando ao topo após, no décimo jogo do 2º turno, obter sua sétima vitória, desta vez contra o Hamburgo. Para um time que alcançaria o mesmo número de pontos do líder, em caso de vitória, o Hamburgo apresentou um futebol muito pouco ofensivo. A única arma que incomodava o goleiro do Stuttgart Lehmann foi o veloz e perigoso Olic (que já está de contrato assinado para atuar no Bayern de Munique após o fim desta temporada), quase que um soldado solitário. Já o Stuttgart sentiu, e muito, as ausências do atacante brasileiro Cacau e do jovem meia Khedira. Com o ponta-direita Hilbert bem marcado e as já citadas ausências, o meia Hitzspelger era quem tentava levar a equipe ao ataque. Seus belos passes e potentes chutes de longa distância eram a maior preocupação do Hamburgo. O jogo parecia caminhar para o empate em 0 a 0, quando após um cruzamento da esquerda, Hitzspelger completou para linda defesa do goleiro Rost. No rebote Mario Gómez abriu o marcador e fechou o jogo. Placar final: Stuttgart 1 x 0 Hamburg. Apenas 3 pontos separam o Stuttgart da zona de classificação para a Champions League. É mais um clube que chegou para brigar.

Finalizando os destaques da Bundesliga, vejamos como está a parte de cima da tabela:

1 – Wolfsburg - 54 pontos
2 – Bayern de Munique - 51 pontos
3 – Hamburgo - 51 pontos
4 – Hertha Berlim - 49 pontos
5 – Stuttgart - 48 pontos

Um comentário:

  1. FABIANO DE ALENCAR DA CONCEIÇÃO19 de abril de 2009 11:57

    Diano velho de guerra!!

    Olha há muito tempo eu não via o Flamengo jogar desse jeito um Fla-Flu, mordendo e jogando com raça até o fim. A última vez que vi isso foi no Fla-Flu de 2004 que vc tá relatou nos Grandes clássicos, quando o Roger "polonês" fez o gol do título da Taça Guanabara. O Juan, Kléberson e Léo Moura pareciam que estavam em outra dimensão jogaram muito.

    Em relação ao time do Fluminense o Parreira vai ter que reformular esse elenco, pois do meio campo para trás o time é sofrível. Jogadores como Jaílton, Mariano, Leandro, Luis Alberto, Ed Carlos, Fernando Henrique, Welligton Monteiro não tem condições em jogar em time grande como Fluminense.

    ResponderExcluir