sábado, 16 de junho de 2012

EUROCOPA 2012 - ALTO NÍVEL E COMPETITIVIDADE


Antes de tudo, vamos chutar um chavão para escanteio. A EURO não é a Copa do Mundo sem Brasil e Argentina. Amigos, como ignorar a força histórica do Bicampeão Uruguai? Com exceção de Alemanha, Itália e França, nenhum europeu terminou o Mundial tantas vezes (5) entre as quatro primeiras posições quanto os celestes. E em um passeio pelo futebol jogado atualmente no planeta, existem Seleções – Chile, México, Austrália, Costa do Marfim e Japão são alguns exemplos – que são tão ou mais poderosas que algumas do “Velho Continente”.

Dito isto, vamos ao assunto da vez. Que mescla de futebol de alto nível com competitividade feroz apresenta esta EURO! Findada a 2ª rodada, ninguém ainda carimbou o passaporte para a fase quartas de final. Nem mesmo a Alemanha – como joga bola o tal do Schweinsteiger –, que ignorou o fato de estar no chamado “Grupo da Morte” e já venceu Portugal e Holanda. Holanda que, por sinal, mesmo com um futebol mais murcho que laranja chupada, com duas derrotas, ainda tem chances de se classificar – dos 16 participantes, somente a Suécia do Ibrahimovice a Irlanda dos torcedores mais tocantes e arrepiantes do torneio já estão de malas prontas.

Os outros líderes de grupo, Rússia, Espanha e França, assim como a Alemanha, também vão precisar suar bastante a camisa na última rodada para seguir adiante. Vejam só a situação dos russos pelo grupo A: jogaram uma barbaridade na chinelada sobre a República Tcheca, não mostraram nenhuma sede pela vitória no empate diante da Polônia, e, agora, podem ser eliminados da competição com uma simples derrota para a Grécia e se não ocorrer um vencedor no duelo entre poloneses e tchecos.

Um salto do grupo A para o C e calculadora em mãos. A atual Campeã Mundial e Europeia, a Espanha, que bateu um bola redondinha contra a Itália, uma redondaça contra a Irlanda e conta com um impossível Iniesta, pode perder a chance de defender o título caso seja derrotada para a surpreendente Croácia, dona de quatro pontos e de um dos artilheiros (Mandzukic). Já os italianos podem até aplicar uma goleada monumental, colossal, estratosférica na Irlanda e, mesmo assim, terem que voltar para casa, o que se consolidaria com um empate entre espanhóis e croatas por dois ou mais gols. É mole?

Se no grupo B o embate entre Portugal e Holanda – reedição das oitavas de final da Copa do Mundo de 2006 – promete emoções fortíssimas, pelo grupo D, Ucrânia contra Inglaterra, que vem de uma sensacional virada sobre a Suécia e terá a volta de Wayne Rooney, vai ser “Haja coração!”, como diria Galvão Bueno, para tudo quanto é lado. Na outra peleja da chave, a França pode até empatar com a Suécia para avançar, mas é bom não entrar com preguiça, pois os eliminados suecos podem estar com sedentos por deixar uma marca relevante, e eliminar os franceses seria de enorme relevância.

Com jogos tão decisivos e tensos na última rodada da fase de grupos, não é um exagero dizer que o mata-mata começou mais cedo na EURO 2012.

Um comentário:

  1. Já adicionei o vosso blogue aos meus links!

    Podes-te tornar seguidor do meu, por favor?

    http://davidjosepereira.blogspot.pt/

    Obrigado!

    ResponderExcluir