quarta-feira, 10 de junho de 2009

CAMPEONATO BRASILEIRO 2009 - 5ª RODADA

SÉRIE A

Grêmio 3 x 0 Náutico
Santo André 3 x 3 Santos
Corinthians 2 x 0 Coritiba
Palmeiras 2 x 1 Vitória
Sport 4 x 2 Flamengo
Avaí 0 x 0 São Paulo
Atlético Paranaense 0 x 4 Atlético Mineiro
Cruzeiro 1 x 1 Internacional
Fluminense 1 x 0 Botafogo
Goiás 2 x 2 Barueri

SÉRIE B

Bragantino 1 x 1 Ipatinga
Juventude 0 x 1 Paraná
Fortaleza 1 x 1 Duque de Caxias
Campinense 2 x 1 Atlético Goianiense
Vila Nova 1 x 0 Ceará
Figueirense 0 x 1 Guarani
Vasco 0 x 0 São Caetano
Bahia 4 x 0 ABC
América 2 x 1 Brasiliense
Ponte Preta 5 x 2 Portuguesa

Olá amigos do FUTEBOLA!

Depois de não ter conseguido assistir a 4ª rodada do Campeonato Brasileiro, estou de volta ao batente. O Brasileirão ainda não pegou fogo, pois Eliminatórias para a Copa do Mundo, Copa das Confederações, Taça Libertadores e Copa do Brasil, parecem ser mais importantes no momento. Mesmo assim, as rodadas vão passando e já tem muito time tendo que abrir o olho para não sofrer o que sofreu o Fluminense em 2008, tendo que correr, e muito, contra o rebaixamento, por ter feito um péssimo início de campeonato. Nesta 5ª rodada do Brasileirão, foi possível presenciar um jogo que ficará na história do nosso futebol. A virada do Sport sobre o Flamengo, com 4 gols em menos de 10 minutos, foi algo de deixar qualquer um boquiaberto. Além desta incrível vitória do Sport, também acompanhei o Clássico Vovô, que foi decidido com uma pintura de Fred, no fim do jogo. Vamos aos destaques destas duas partidas.

Sport 4 x 2 Flamengo – Ilha do Retiro, Recife (PE)
Fluminense 1 x 0 Botafogo – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

MANDOU BEM!

- Durante aproximadamente 15 minutos de jogo, o Flamengo mostrou na Ilha do Retiro a sua antiga arma: a qualidade dos seus laterais. Com Juan e Léo Moura sendo incisivos simultaneamente e somando a agora presença de Adriano como referência, o atacante Emerson apresentou um futebol raro de se ver em um atacante rubro-negro, em 2009, e marcou dois belos gols de oportunismo. Emerson mostrou que deve mesmo ser o parceiro ideal de Adriano no ataque do Flamengo, pois suas características são complementares às do Imperador. Emerson sabe jogar saindo da área, caindo pelos lados do campo e também finaliza com qualidade. O torcedor rubro-negro deve estar torcendo para sua contusão não ser séria.

- Sensacional a reação do Sport na partida. É claro que o sistema defensivo do Flamengo falhou bastante e facilitou a vida da equipe pernambucana, porém o fato de ter marcado 4 gols em menos de 10 minutos é algo digno de muitos elogios . Dois jogadores foram fundamentais nesta virada do Sport. O meia Fumagali mostrou estar com o pé calibrado e deu dois lindos cruzamentos para os gols de Durval e o segundo do atacante Weldon. Por falar em Weldon, ele foi o nome do jogo. Acreditem, mas em 7 minutos ele simplesmente balançou as redes por 3 vezes. Parecia até quando você está jogando futebol no videogame e faz um macete para todo chute arriscado ser gol. Weldon teve uma atuação para entrar na história do Brasileirão.

- Só pelo lindo gol marcado aos 43 minutos do 2º tempo, que decidiu o Clássico Vovô, Fred já merece aplausos, mas ele fez mais. Não que Fred tenha tido uma noite de gala no Maracanã, entretanto os raros lances ofensivos que o Tricolor conseguiu criar, contaram com sua presença. O Fluminense ainda não está sabendo utilizar a capacidade que Fred possui de jogar de pivô. Thiago Neves, Conca e até o Marquinhos são bons chutadores e o Fluzão deveria ter mais jogadas trabalhadas, com o Fred segurando a bola para eles chegarem de trás, prontos para o arremate.

- Desde que iniciou sua passagem pelo Vasco que comecei a ser fã de Leandro Amaral. Até mesmo em seu primeiro curto período no Fluminense, no início de 2008, que valorizei seu trabalho. Apesar de o trio Washington, Dodô e Leandro Amaral, conhecido como “Três Tenores”, não ter engrenado, achei que Leandro se esforçou muito para o ataque ter dado certo. Como fã seu, também fiquei muito triste com seu ruim retorno ao Vasco, onde reclamou na imprensa muito mais do que jogou bola e foi um dos responsáveis pela queda do Cruzmaltino para a Série B. De volta ao Fluminense, Leandro, em pouco tempo, se contundiu e conseguiu retornar aos gramados somente agora, nesta 5ª rodada do Brasileirão. O atacante ficou apenas 20 minutos em campo, no clássico, e fez muito mais do que Thiago Neves, quem substituiu. Um belo passe pro volante Maurício arrematar de fora da área, um perigoso chute longo que fez o goleiro Renan bater roupa e um magistral passe para Fred decidir o jogo. Excelente retorno de Leandro Amaral. Estou torcendo muito para que sua dupla com Fred faça tanto sucesso quanto promete.

- Foi visível a falta de ritmo de jogo que o botafoguense Lúcio Flávio mostrou no clássico, após o bom tempo que ficou encostado no Santos. Não foi, porém, esta falta de condicionamento que fez com que a técnica que possui ficasse escondida. Bons passes, ótimas inversões de jogo e perigosos chutes ao gol, fizeram parte do repertório de Lúcio Flávio. Claro que espero muito mais do Maestro na sequência do campeonato, mas não achei sua apresentação tão ruim quanto alguns comentaristas acharam. Junto com o camisa 10 alvi-negro, o zagueiro/ala Eduardo merece elogios. Confesso que nunca fui um grande admirador de seu futebol, porém desde que foi escalado na reta final do Carioca que ele vem jogando muito bem. Mesmo tendo atuado boa parte da partida como zagueiro pela esquerda, acreditem, os avanços e chutes longos de Eduardo foram a principal arma ofensiva do Botafogo no jogo. Além disso, seu setor defensivo esteve muito bem protegido.

MANDOU MAL!

- Sempre elogiei, em meus comentários, o futebol do zagueiro flamenguista Ronaldo Angelim, citando-o inclusive como um dos melhores zagueiros do país. Não é por este motivo, porém, que deixarei de puxar suas orelhas quando ele merecer. No primeiro gol do Sport, aos 26 minutos do 1º tempo, ele falhou junto com o goleiro Bruno, pois era ele quem marcava o zagueiro Durval. Um minutinho depois, a bola cruzada por Dutra passou por entre suas pernas e o atacante Weldon empatou a partida. Aos 29 minutos ele cometeu falta que resultaria na virada pernambucana e aos 34 levou um drible desconsertante do jovem Ciro, que deu o passe para, novamente Weldon, sacudir o filó. Uma atuação daquelas que deve ter feito Ronaldo Angelim perder o sono. Para diminuir um pouquinho a culpa de Ronaldo Angelim na derrota do Flamengo, vale ressaltar que uma derrota como esta não tem somente um culpado. O goleiro Bruno, o zagueiro Aírton e o técnico Cuca também são alguns dos responsáveis pelo revés. O Flamengo atuando com Willians, Aírton e Angelim na defesa, foi muito sólido contra o Interncional, nos duelos pela Copa do Brasil. Será que a ausência do Kléberson não poderia ser ajustada sem ser com o adiantamento do Willians? A entrada de Welinton na defesa e a volta de Willians ao meio piorou bastante o setor defensivo flamenguista. Tudo bem que esta foi a pior atuação de Ronaldo Angelim que assisti pelo Flamengo, mas ele não é o único culpado.

- Sem a companhia de Reinaldo, contundido, e Maicosuel, vendido, o centroavante Victor Simões não está conseguindo mostrar um pingo do futebol que apresentou no Cariocão. Tudo bem que todo o time botafoguense está sentindo esta repentina falta de seus dois principais jogadores, porém eu esperava mais de Victor, principalmente em relação à chamar o jogo para si. Diminuindo um pouco a parcela da culpa de Victor Simões pela falta de qualidade ofensiva do Botafogo, o seu parceiro Tony também nada apresentou de bom contra o Fluminense. Com um armador como Lúcio Flávio e um centroavante como Victor Simões, Tony deveria explorar os espaços no lado do campo, pois assim abriria o meio para a chegada de Lúcio e criaria boas jogadas para Victor. Pode ser falta de qualidade individual, falta de entrosamento ou até de motivação, o fato é que o sistema ofensivo botafoguense não rendeu bem no clássico contra contra o Fluminense.

JOGADA RÁPIDA!

- Quem diria, mas o Atlético Mineiro é o vice-líder do Brasileirão e ainda está invicto. O ataque formado por Diego Tardelli e Éder Luiz, que foram pessimamente aproveitados por, respectivamente, Flamengo e São Paulo, vem se mostrando uma das sensações do Brasileirão. Será que o Galo aguenta o pique até o final?

ENQUANTO ISSO NO URUGUAI…

- O Brasil esteve longe de fazer a bela partida que o resultado de 4 a 0 sobre o Uruguai, em pleno Centenário, ilustra, porém uma equipe que apesar das poucas chances de gols criadas consegue balançar as redes 4 vezes, merece sempre vencer.

Estamos distantes apenas um ano da Copa do Mundo da África e chegou o momento de aceitarmos que Dunga será sim o técnico do Escrete Canarinho no Mundial e, principalmente, que a espinha de sua equipe está montada. Apesar de eu não concordar com praticamente metade da convocação de Dunga, a postura da Seleção em campo me incomoda mais. Esta partida contra o Uruguai por exemplo, deixou uma preocupação em minha cabeça, com relação a organização da Seleção Brasileira na saída para o jogo. É inconcebível que uma equipe que está sendo montada a 3 anos passe praticamente todo o 1º tempo de um jogo sem organizar uma única jogada de qualidade e sem que o craque do time, Kaká, apareça com destaque. Porém, mesmo que sem nenhum mérito coletivo, dois gols foram marcados e a vitória encaminhada. Será que sempre acharemos gols na hora certa? Já no 2º tempo, Kaká jogou bola por 10 minutos. Dos 18 aos 28 minutos Kaká deu dois passes magistrais para Luís Fabiano perder dois gols na cara do goleiro e ainda sofreu um pênalti que ele mesmo converteu. Pouco para quem deve ser o “sol” pelo qual a Seleção deve girar em volta, mas suficiente para liquidar a atualmente fraca Celeste Olímpica.

Parece que estou criticando o Kaká pela falta de qualidade que o Brasil mostrou em campo. Não, não estou. Apesar de ser ele quem tem que assumir o comando do time, ninguém tem a obrigação de levar a Seleção nas costas. O que ocorre é que Kaká está muito mal sustentado. Filipe Melo e Elano fizeram péssimas partidas? Não. Entretanto eles estiveram longe de dar ao meio campo brasileiro o controle do jogo. Pode parecer algo pouco importante, porém toda a pressão que o Brasil sofreu, principalmente na 1ª etapa, foi por culpa desta falta de posse de bola. Todas aquelas defesas que Júlio César teve que, novamente, realizar, só ocorreram pois o meio-de-campo brasileiro não teve a mínima capacidade de controlar a partida.

A Seleção teve sim méritos por ter vencido o jogo, porém estou um pouco assustado com a proximidade da Copa do Mundo para poder ficar elogiando as pouquíssimas boas ações brasileiras.

3 comentários:

  1. FABIANO DE ALENCAR DA CONCEIÇÃO10 de junho de 2009 12:20

    Diano velho de guerra!!!!

    Já estava com saudades das sua crônicas heehehehehehehehhe

    Que aconteceu com o Flamengo: fez 2 gols em 9 minutos e logo depois levou 4 gols em 8 minutos.
    Com isso, o Flamengo é um forte candidatos a entrar no livro dos recordes.

    O Vasco parece que ainda está abalado com a eliminação da Copa do Brasil, pois os jogadores estão muitos nervosos com qualquer marcação dos juizes em alguns lances que sentiam - se prejuidicados. Com isso não sairam do zero contra o São Caetano

    O Clássico Vovô só se salvou com o golaço de Fred no final, pois os 2 times não tão jogando nada.

    ResponderExcluir
  2. A derrota do Flamengo para o Sport por 4 a 2 de virada constitui mais um vexame desse grupo bom e premiado.Os 4 gols sofridos em incriveis 9 minutos só foram possiveis graças a falhas individuais dos defensores rubro-negros.No primeiro lance o goleiro Bruno falhou na saída e perdeu no alto para o zagueiro do Leão.No segundo gol o zagueiro Ronaldo Angelin furou grotescamente ao tentar cortar o cruzamento que resultou no segundo gol.No terceiro o zagueiro Airton não fez o seu trabalho e deixando livre o inspirado Weldon para marcar mais um gol e no quarto momento o zagueiro lento até morrer Wellinton ficou só olhando a pucheta de Ciro para o espetacular remate de Weldon.Resumindo um dia para se esquecer na ilha do retiro.

    ResponderExcluir
  3. Vergonha! Apagão geral! Enquanto isso, o Imperador vai fazendo das suas e tomando "água de coco" na praia! Com direito à "chinelinho"... Com e sem duplo sentido!

    []'s!

    ResponderExcluir