sábado, 9 de maio de 2009

FIGURINHA CARIMBADA - FEITIÇO



Nome: Luís Matoso

Data de nascimento: 9 de setembro de 1901

Faleceu em 23 de agosto de 1985

Posição: centroavante

Clubes:

Corinthians (1921 e 1932 a 1933)
São Bento – SP (1923 a 1925)
Santos (1926 a 1932)
Peñarol – URU (1933 a 1936)
Vasco (1936 a 1937)
Palestra Itália (1938)
São Cristóvão (1940)

Seleção Brasileira – 4 jogos e 6 gols*

Títulos:

Campeonato Paulista – 1925 – São Bento
Campeonato Carioca – 1936 – Vasco

Destaques:

- Experimente chegar em um lugar cheio, em qualquer lugar do mundo, e fazer a seguinte pergunta: “Quem é o jogador com maior média de gols da história do Santos?”. Aposto com você que quase todos irão encher os pulmões de ar e responder, com aquele ar de “essa foi moleza”, que foi o Pelé. Acreditem amigos, não foi. Com 216 gols em 151 jogos** Feitiço, possui a incrível média de 1,43 gols por jogo e fez parte de um dos maiores esquadrões já montados pelo Santos, o do 1927. Neste ano, a equipe santista contou com o famoso e espetacular “Ataque dos 100 gols”, como ficou conhecida a linha formada por Omar, Camarão, Feitiço, Araken e Evangelista, por balançar as redes 1 centena de vezes em apenas 16 jogos. Vale ressaltar que foi a primeira vez na história do Campeonato Paulista que um equipe conseguiu este feito. Mas Feitiço não pôde jogar a final do Paulistão de 27, contra o Palestra, por um motivo incomum. Neste mesmo ano, a Seleção Paulista decidia contra a Seleção Carioca o Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, no Estádio das Laranjeiras. O jogo estava empatado e o árbitro marcou pênalti para a equipe do Rio, revoltando os jogadores paulistas que decidiram impedir a cobrança de ser realizada. Quem assistia a partida das tribunas era o presidente da República, Washington Luís, que enviou um de seus oficiais ao gramado para obrigar a realização da cobrança da penalidade. O diálogo que se sucedeu foi o seguinte:

Oficial: “O excelentíssimo senhor doutor presidente da República mandou dizer aos paulistas que deixem bater o pênalti.”

Feitiço: “Pois diga ao excelentíssimo senhor doutor presidente da República que ele manda no Brasil, mas que quem manda no campo somos nós.”

A cobrança não foi realizada e o jogo encerrado, porém, por esta atitude, Feitiço recebeu uma punição do próprio Santos, desfalcando o time na decisão contra o Palestra. Sem contar com Feitiço, o Santos foi derrotado por 3 a 2 e deu adeus ao sonho de ser Campeão Paulista.

- O período de Feitiço no time praiano ainda contou com a tri-artilharia do Paulistão nos anos de 1929, 1930 e 1931. O mais impressionante, porém, é que a tri-artilharia alcançada por Feitiço não foi inédita. Nos anos de 1923, 1924 e 1925, o atacante conseguiu o mesmo feito pelo modesto São Bento. E tem mais! Em 1925, além da artilharia, Feitiço ajudou o São Bento a se sagrar Campeão Paulista.

- Em 1928, Feitiço estreou na Seleção Brasileira em um amistoso contra o Motherwell, uma equipe escocesa. E foi uma estréia digna de Feitiço, com o centroavante balançando a rede adversária nada menos que 4 vezes. Apesar da estréia monumental na Seleção Brasileira, foi com a camisa da Seleção Paulista que Feitiço fez história, marcando nada menos do que 30 gols.

*http://www.rsssfbrasil.com
**http://desenvolvimento.miltonneves.com.br/QFL/Conteudo.aspx?ID=61685

Um comentário:

  1. FABIANO DE ALENCAR DA CONCEIÇÃO10 de maio de 2009 12:10

    Diano velho de guerra!

    Não sabia que tinha um jogador com apelido de Feitiço e ainda foi teve a maior média de gols da história do Sanots superando o Rei Pelé.

    ResponderExcluir