quarta-feira, 6 de maio de 2009

SELEÇÃO DO CAMPEONATO CARIOCA 2009

Olá amigos do FUTEBOLA!

Terminado o Campeonato Carioca de 2009, nada mais divertido do que montarmos a Seleção do Cariocão e eleger os destaques do torneio. Acredito que cada leitor escolherá uma Seleção diferente da minha, assim como a minha foi diferente da escolhida pelo diário Lance! e pela Federação Carioca. Portanto, fiquem a vontade para deixar por aqui sua preciosa opinião.

GOLEIRO – Bruno (Flamengo)
Antes do segundo jogo decisivo do Estadual, era grande a dúvida entre Bruno e o jovem Renan, do Botafogo. Porém, após defender 3 pênaltis, sendo um deles no tempo normal, em uma final de campeonato, ficaria impossível não escolher Bruno para vestir a número 1.

LATERAL-DIREITO – Paulo Sérgio (Vasco)
Esta foi a posição de maior carência da competição. Mariano (Fluminense) e Alessandro (Botafogo) não passaram de razoáveis ao longo de todo torneio. Uma prova disso foi o sofrimento que os dois tiveram quando enfrentaram o flamenguista Juan. Muitos podem achar que Léo Moura poderia assumir a posição, porém como suas melhores atuações foram no meio-de-campo, preferi não colocá-lo de lateral, posição em que vem devendo um bom futebol. Já o vascaíno Paulo Sérgio, apesar da péssima atuação contra o Botafogo, na semi-final da Taça Rio, fez uma excelente Taça Guanabara e uma boa Taça Rio, mostrando ser um ótimo assistente.

ZAGUEIRO-CENTRAL – Juninho (Botafogo)
Foi visível a evolução física e técnica de Juninho ao longo do torneio. Durante a parte final da competição, Juninho já estava ótimo nas bolas aéreas, muito bem nas antecipações por baixo e perfeito nas bolas paradas. É impressionante sua qualidade para cobrar faltas, nos surpreendendo até com cobranças colocadas.

QUARTO-ZAGUEIRO – Ronaldo Angelim (Flamengo)
Hoje em dia pode-se falar, sem medo de estar exagerando, que Angelim é indispensável ao time do Flamengo. E o mais incrível, é que até o setor ofensivo rubro-negro cresce com a sua presença. Desde sua qualidade na marcação, passando pela eficiência nas bolas aéreas e terminando com as ultrapassagens pela lateral-esquerda, Ronaldo Angelim mostra que o Flamengo é ele e mais 10. É inegável que seu retorno, após grave contusão, fez o Flamengo evoluir muito.

LATERAL-ESQUERDO – Ramon (Vasco)
Com certeza a diretoria do Vasco acertou em cheio ao contratar o jovem Ramon. Jogador com ótima capacidade para defender e atacar, o que é raro nos jovens laterais de hoje, Ramon fez um campeonato espetacular e suas apresentações nos clássicos contra Flamengo e Botafogo, durante a fase classificatória da Taça Rio, foram de encher os olhos.

PRIMEIRO VOLANTE – Leandro Guerreiro (Botafogo)
Sei que as melhores atuações de Leandro durante o campeonato foram de zagueiro pela esquerda, mas se a sua principal característica é a versatilidade defensiva, não vejo problemas em escalá-lo de volante. No mais, se os laterais precisarem de maior liberdade, basta ele recuar um pouco e tudo estará organizado. Leandro Guerreiro foi muito importante durante toda a bela campanha botafoguense, dando muita estabilidade defensiva para a equipe e, claro, muito suor. Sua atuação na semi-final da Taça Rio, quando anulou o vascaíno Carlos Alberto, foi excelente.

SEGUNDO VOLANTE – Kléberson (Flamengo)
Quando na semi-final da Taça Rio o Cuca decidiu barrar o Erick Flores e escalar o Kleberson, confesso que eu não concordei. Com o andamento da partida, porém, vi que a escolha de Cuca havia sido excelente, pois Kléberson foi o principal responsável por o meio-de-campo do Fluminense não ter conseguido andar naquela partida. Nos três últimos jogos do torneio, todos contra o Botafogo, Kleberson não esteve tão impecável defensivamente, entretanto foi muito útil na organização ofensiva do Flamengo. E é claro que não podemos esquecer que os dois gols do Flamengo, na partida derradeira, foram marcados por ele. Kléberson está começando a justificar a fama de jogador Campeão do Mundo.

MEIA-DIREITA – Carlos Alberto (Vasco)
Para aqueles que achavam que Carlos Alberto não era o homem certo para comandar o Vasco em um ano tão importante para o clube, o Carioca mostrou o contrário. Com uma boa atuação atrás da outra, o meia mostrou aquele futebol que o fez ser Campeão do Mundo com o Porto. E agora tem um agravante, pois ele é o líder e capitão da equipe. Sua apresentação na goleada de 4 a 1 sobre o Botafogo foi algo excepcional.

MEIA-ESQUERDA – Maicosuel (Botafogo)
Desde o meia rubro-negro Felipe, em 2004, ninguém jogou tanta bola quanto Maicosuel em um Campeonato Carioca. Os números são de outro mundo: 19 jogos com 12 gols e 11 assistências, mas se você é como eu e acha que futebol não tem nada de matemática, o que Maicosuel fez dentro das quatro-linhas também foi genial. Podia ser contra time considerado pequeno, como quando deu 3 assistências e fez 2 gols no Friburguense, ou em clássicos, quando acabou com o Vasco na semi-final da Taça Rio e enlouqueceu o Flamengo no 1º jogo da decisão estadual, cada show de Maicosuel fazia valer o preço do ingresso. E sem direito a meia-entrada.

PRIMEIRO-ATACANTE – Bruno Meneghel (Resende)
Se levarmos em conta apenas a Taça Guanabara, Bruno Meneghel alcançou a impressionante marca de 8 gols nos 9 jogos do Resende. Aproveitando a chance que caiu dos céus, com o tribunal retirando pontos do Vasco, o Resende entrou para a história ao eliminar o Flamengo nas semi-finais da Taça Guanabara com dois gols de Bruno. Se não realizou uma boa Taça Rio, ninguém fez por merecer roubar seu lugarzinho na Seleção do Carioca.

CENTROAVANTE – Victor Simões (Botafogo)
Excelente campeonato fez Victor Simões. Mesmo que na parte final do torneio ele tenha caído um pouco de rendimento, seus gols e jogadas de pivô foram importantíssimos para o Botafogo realizar esta ótima campanha no Carioca. Além disto, uma qualidade em especial agrada muito o torcedor alvi-negro: a raça demonstrada em campo. Chute certeiro e garra, são dois atributos que qualquer grande atacante precisa ter, e Victor mostrou-os em grande parte do Cariocão.

TÉCNICO – Ney Franco (Botafogo)
Excelente o trabalho realizado pelo Ney Franco no comando do Botafogo. O treinador conseguiu dar liga ao time, que contava com muitos jogadores que não se conheciam, rapidamente. Concordo que em algumas vezes a equipe recuava muito em campo, mas em outras o trio de ataque, que Ney fazia questão de dar total liberdade de movimentação, mostrava um futebol ofensivo de muita qualidade. Para quem começou um trabalho do zero, Ney Franco deu muitos passos para frente.

MELHOR JOGADOR
1 – Maicosuel (Botafogo)
2 – Carlos Alberto (Vasco)
3 – Kleberson (Flamengo)

Um comentário:

  1. FABIANO DE ALENCAR DA CONCEIÇÃO9 de maio de 2009 12:51

    Diano velho de guerra!!!

    Essa seleção do Campeonato tá boa mesmo.

    Mas tem o detalhe não tem um jogador do Fluminense na lista porque será? Isso mostra que o tricolor das Laranjeiras não tem um time formado ainda e o Parreira tem que entrosar o time rapidamente

    ResponderExcluir