segunda-feira, 24 de agosto de 2009

CAMPEONATO BRASILEIRO 2009 - 21ª RODADA - SÉRIE A

SÉRIE A

Palmeiras 2 x 1 Internacional
Santo André 1 x 0 Coritiba
Sport 2 x 0 Vitória
Corinthians 3 x 3 Botafogo
Atlético Paranaense 1 x 0 São Paulo
Grêmio 4 x 1 Atlético Mineiro
Fluminense 0 x 0 Barueri
Goiás 2 x 1 Santos
Cruzeiro 4 x 2 Náutico
Avaí 3 x 0 Flamengo

Olá amigos do FUTEBOLA!

A 21ª rodada do Brasileirão terminou com duas das maiores surpresas do campeonato no G4. Goiás e Avaí continuam atropelando seus adversários e a cada dia que passa se consolidam mais como fortes candidatos na briga pela preciosa vaga na Libertadores. Se ambos vão ter forças para combater o Palmeiras, na briga pelo título, acredito ser cedo para falar, mas que estão jogando uma bola redondinho, isso estão. Vamos aos comentários sobre os jogos que assisti desta importante rodada do Brasileiro.

Palmeiras 2 x 1 Internacional – Palestra Itália, São Paulo (SP)
Fluminense 0 x 0 Barueri – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Avaí 3 x 0 Flamengo – Ressacada, Florianópolis (SC)

MANDOU BEM!

- Com 11 minutos de jogo, no Palestra Itália, os mais de 20 mil torcedores palmeirenses devem ter ficado com a pulga atrás da orelha. O motivo? Cleiton Xavier, em minha opinião o melhor jogador do Brasileiro até o momento, sentiu o tornozelo e teve que ser substituído. O jogo poderia ter se tornado um pesadelo para o Palmeiras não fosse a noite de Diego Souza. Com uma autoridade de encher os olhos, Diego chamou a responsabilidade de decidir a partida e teve uma atuação daquelas para guardar o jornal do dia seguinte. Quando ele pegava a bola e arrancava, a defesa colorada ficava louca. Para se ter uma idéia do nível da atuação do craque alvi-verde, o volante adversário Guiñazu, acreditem, esteve completamente perdido na tentativa de marcá-lo. Diego fez de tudo. Sofreu pênalti, organizou a jogada do segundo gol, armou contra-ataques, deu dribles desconsertantes, empolgou a torcida. Enfim, foi o dono do jogo. Em partidas como esta que o técnico, o time e a torcida, descobrem com quem pode contar nas horas difíceis.

- Com o final do 1º turno, muitos na imprensa andaram dizendo que o Brasileirão está carente de revelações e apontaram o atacante do Barueri, Fernandinho, como a única estrela nascente. Acreditei ser um exagero esta constatação pois, apesar de não estarmos recheados de jovens promessas, tem muito garoto bom por aí. Para ilustrar minha opinião, usarei a partida entre Palmeiras e Internacional. O volante do Verdão, Souza, mostrou, não pela primeira vez, um futebol muito dinâmico. Além de cumprir suas tarefas defensivas com muita qualidade, ainda aparecia frequentemente ao ataque para tentar chutes longos. Tendo a honra de atuar ao lado do Pentacampeão Edmílson, acredito que Souza tem muito para crescer ainda. Pelo lado Colorado, o meia Giuliano, assim como toda a equipe, não realizou uma grande partida, porém o golaço que marcou mostra que categoria ele tem de sobra. Após deixar dois defensores palmeirenses completamente perdidos, Giuliano mandou uma bomba sem chances de defesa para Marcos. Um dos gols mais bonitos do Brasileiro. A galera que adora a expressão “nivelado por baixo”, para desmerecer o nosso futebol, pode ter um pouco mais de coerência e paciência com nossas promessas.

- Talvez pela boa fase da equipe catarinense, talvez pela má fase do Rubro-Negro Carioca, talvez por um pouco dos dois, o fato é que o Avaí conseguiu bater o Flamengo sem nem precisar se esforçar, somente na organização tática. Uma defesa segura, comandada pelo bom goleiro Eduardo Martini, um meio-campo que sabe armar e chegar na frente para concluir e um ataque bem veloz, com um Muriqui que evoluiu mais neste Brasileiro do que em todos os anos que passou no futebol do Rio de Janeiro. Com uma tranquilidade característica dos times tradicionais quando enfrentam equipes de menor porte, o Avaí roubou o lugar do Flamengo e cumpriu seu papel com louvor. O torcedor rubro-negro deve se sentir humilhado pois pareceu que o Avaí não queria gastar muita energia em um jogo fácil e, mesmo assim, atropelou o Fla. Com todos os merecimentos o Avaí termina a rodada no G4. Por fim, e fazendo justiça, parabéns ao Silas pelo espetacular trabalho.

MANDOU MAL!

- Sem dúvida alguma o fato de o Internacional ter perdido para o Palmeiras, em pleno Parque Antártica, pode ser criticado, afinal serão poucos os times que conseguirão algum resultado positivo na casa do Verdão. Porém, uma equipe que deseja conquistar o Brasileirão, como é o caso do Inter, não pode apresentar um futebol fraco como foi no sábado. Com exceção de algumas aparições do Andrezinho, principalemte nas bolas paradas, o Colorado mostrou um futebol sem nenhuma criatividade. Somente quando o Palmeiras já estava com 2 a 0 no placar e acreditava ter definido o jogo, que o Inter tentou tomar alguma iniciativa, tendo o restante da partida organizado pouquíssimas jogadas de qualidade. A saída de Nilmar e a ausência de D´Alessandro não podem ser usadas como desculpas para um futebol tão pouco incisivo como foi o mostrado pelo Internacional.

- O Fluminense está sofrendo muito com a ausência de qualidade técnica no seu setor de meio-campo. A defesa é ruim? Sim. O ataque não é dos melhores? Sim. Estes dois fatores porém, podem ser muito bem contornados. Luiz Alberto e Cássio, apesar dos imensos buracos que têm deixado na defesa tricolor, estão no nível de muita dupla de zaga do Brasileiro. O ataque com Roni, Kieza e Maicon, podendo atuar até os três juntos, consegue dar algum trabalho aos adversários com velocidade e jogadas pelos flancos. A dupla de volantes do Fluzão, entretanto, não consegue dar ao time o mínimo de qualidade para sair para o jogo. Fabinho, Diguinho, Welington Monteiro, Marquinhos, Maurício... Não importa qual dupla esteja atuando, o Fluminense não consegue ter uma transição defesa/ataque decente. O sacrificado por este motivo é o argentino Conca que, sem nenhum apoio, fica sobrecarreado na armação de jogadas. O lugar ideal para Conca atuar seria perto dos atacantes, porém para isto ocorrer os volantes precisariam ter qualidade. Daqui uns dois meses, Urrutia e Fábio Santos podem entrar em forma e ajudar o Flu. Pena que o time não tem todo este tempo para fugir da degola.

- Faltou ao Flamengo, Léo Moura, Juan, Kléberson, Toró, Petkovic e Emerson, só para citar os que eu considero importantes para a equipe. Porém, mesmo com os desfalques, a equipe rubro-negra não pode mostrar um futebol de tão baixo nível. Nem a defesa dos juniores daria tanta facilidade ao adversário como Muriqui encontrou ao dar o passe para o primeiro gol do Avaí. Faltou coerência ao Andrade em escalar o Éverton na ala-esquerda, mesmo com a equipe sem poder contar com Kléberson e Petkovic na organização. O Willians poderia ser um pouquinho mais inteligente e se controlar para fazer menos faltas. Zé Roberto insiste em contrariar o ditado “Jogar bola não se esquece, é igual andar de bicicleta”. Ou os jogadores colocam na cabeça que é para jogar cada partida como se fosse uma decisão, ou param com esta hipocrisia de afirmar que o Flamengo é um grupo e não apenas 11 jogadores.

JOGADA RÁPIDA!

- E o Grêmio continua com sua constante inconstância, após mais uma bela vitória em casa, como foi a goleada de 4 a 1 no Atlético Mineiro. Em 11 jogos no Olímpico, são 9 vitórias e 2 derrotas. Em 10 jogos como visitante foram 2 empates e 8 derrotas. Que loucura!

ENQUANTO ISSO NA INGLATERRA…

Arsenal 4 x 1 Portsmouth

- Após estrear na Premier League com nada mais nada menos que uma goleada por 6 a 1 sobre o Everton, o Arsenal decidiu fazer outra vítima. Com um tranquilidade de dar gosto, os Gunners deram uma chinelada de 4 a 1 no fraco time do Portsmouth. Deu pra ver de tudo um pouco na boa atuação do Arsenal, a começar pelo excelente Fábregas, que iniciou com maestria as jogadas que resultaram nos dois primeiros gols londrinos. Que facilidade para passar a pelota! No setor ofensivo, Eduardo e Arshavin realizaram uma partida muito boa, tendo participações em gols e mostrando bastante qualidade técnica. Já Van Persie, o outro atacante, parou no goleirão do Portsmouth, o veterano James. Van Persie tentou de tudo quanto foi modo, mais James estava decidido a não levar gols do holandês. Apesar de o Portsmouth praticamente não ter agredido o Arsenal, o gol saiu de uma bola fortuita alçada na área, gostaria de elogiar o volante brasileiro Denílson, que teve uma atuação bem segura e consistente. Por fim, as palavras para o dono do jogo: Diaby. O volante francês teve uma atuação daquelas pra nunca mais esquecer. Autor dos dois primeiros gols do Arsenal, chegando ao ataque com muita propriedade, Diaby ainda foi o escultor da obra-prima que foi a jogada mais linda da partida. Na intermediária adversária o volante incorporou Zinedine Zidane, deu uma caneta em uma marcador, girou sobre a pelota, tirando mais um da jogada, e mandou um chute pro gol. Para os que já estavam de pé, torcendo para a bola entrar, infelizmente James defendeu o tiro. Este gol seria a coroação de uma grande apresentação. Na próxima rodada tem Arsenal e Manchester e, pelo futebol que o time do Arséne Wenger vem apresentando, eu não seria louco de perder este duelo.

4 comentários:

  1. O Avaí vai mostrando a cada dia que passa que já não é mais uma aposta, mas uma realidade. Esse time vai dar caldo.

    Já os cariocas... prefiro não comentar...

    Visite também o Rio Futebol, se puder!
    Grande abraço,

    Leonardo Resende
    Rio Futebol
    http://riofutebol.blogspot.com
    adm.riofutebol@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. O Botafogo até que jogou bem e merecia ganhar o jogo, mas a arbitragem mais uma vez fez um papelão.

    ResponderExcluir
  3. FABIANO DE ALENCAR DA CONCEIÇÃO26 de agosto de 2009 10:58

    Diano velho de guerra!!!!

    Tá feia coisa para os cariocas nesse campeonato.

    O Fluminense está em queda livre rumo a segundona.

    O Flamengo com os grandes desfalques vai ficar mesmo no meio da tabela.

    O Botafogo vai ficar brigando pra não cair até o final do campeonato.

    ResponderExcluir