quinta-feira, 10 de maio de 2012

COPA DO BRASIL 2012 - OITAVAS DE FINAL - BOTAFOGO X VITÓRIA



Botafogo 1 x 2 Vitória – Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)


Invicto até semana passada, Botafogo sofre segunda derrota seguida em um duelo decisivo – desta vez para o Vitória – e dá adeus à Copa do Brasil.

Com a missão de deixar o sonoro revés sofrido no primeiro jogo final do Carioca de lado e avançar na Copa do Brasil, o Botafogo foi escalado pelo Oswaldo de Oliveira no 4-2-3-1 com: Jefferson; Lucas, Brinner, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Renato e Marcelo Mattos; Elkeson, Felipe Menezes e Maicosuel; Loco Abreu. Pelo lado rubro-negro, o técnico Ricardo Silva organizou o Vitória, que no domingo joga um Ba-Vi para decidir o Campeonato Baiano, no 4-2-3-1 com: Douglas; Léo, Gabriel Paulista, Rodrigo e Wellington Saci; Uelliton e Rodrigo Mancha; Pedro Ken, Tartá e Geovani; Neto Baiano.

O Botafogo começou o 1º tempo arriscando alguns ataques em velocidade e logo desperdiçou uma chance claríssima com o Loco Abreu, enquanto o Vitória, apesar da obrigação de marcar gols, não conseguia andar em campo. O jogo correu neste roteiro até o minuto 20, quando Elkeson abriu o placar na base da força e comemorou em tom de desabafo contra as vaias da torcida. Aí o Fogo tirou o pé, que já não pisava fundo, do acelerador e, mesmo sem um pingo de criatividade, o Rubro-Negro Baiano cresceu na base das bolas aéreas. Foi assim que Jefferson realizou bela defesa em cabeçada do Geovani e falhou feio duas vezes ao sair do gol como se fosse um arqueiro amador. Nestas saídas equivocadas coube ao lateral Lucas impedir que o Vitória colocasse a pelota no fundo do barbante. Mas em uma delas o fez com a mão. Resultado: expulsão do lateral e pênalti que Neto Baiano cobrou pessimamente para defesa de Jefferson.   

Após o intervalo, os baianos voltaram cheio de pimenta. Dinei, que entrara no lugar do Geovani, deu mais vida ao ataque, Pedro Ken e Tartá nem pareciam os jogadores sonolentos da etapa inicial e até o volante Uelliton se lançou para frente. E a ferocidade do “Leão” não tardou a se transformar em vantagem no placar. Pedro Ken, em forte arremate aos 11, e Tartá, de cabeça aos 23, colocaram o Vitória na frente do escore. Como o Botafogo sentiu a ausência do zagueiro Antônio Carlos! O sistema defensivo alvinegro foi de um caos aéreo digno dos piores aeroportos nacionais. Psicologicamente o Botafogo foi ao fundo do poço e nem mesmo a expulsão de Pedro Ken, aos 31 minutos, e a estreia do veloz Vítor Júnior foram capazes de animar a equipe, que teve em uma perigosa cabeçada com o Loco Abreu sua melhor chance de voltar às redes.

Além da eliminação em um torneio nacional importante, esta derrota alvinegra tira ainda mais as forças da equipe para a decisão do Carioca. Como disse um amigo após o apito final, “agora resta ao Botafogo comer a grama do Engenhão contra o Fluminense”.

Um comentário:

  1. Nunca deixarei de amar meu time devido uma derrota!!

    ResponderExcluir