domingo, 12 de julho de 2015

CAMPEONATO BRASILEIRO 2015 – 13ª RODADA – ATLÉTICO PARANAENSE X FLUMINENSE


Atlético Paranaense 1 x 2 Fluminense – Arena da baixada, Curitiba (PR)

Fred volta a decidir, marca nos acréscimos e comanda vitória do Fluminense sobre o Atlético Paranaense na Arena da Baixada.

Empolgado pelo apoio da não menos empolgada torcida, o Atlético Paranaense se aproveitou do excesso de chutões e de buracos tricolores para dominar a primeira etapa em posse de bola, chances reais de gols e controle do meio-campo. O franzino Marcos Guilherme e o nada franzino Walter deram um baita trabalho a Diego Cavalieri. Foi somente após o intervalo que o Fluminense esboçou uma tomada de iniciativa. E o resultado não tardou a aparecer: aos 7, Fred encontrou o “em chamas” Gustavo Scarpa, que concluiu com precisão para fazer um a zero.

Sem alternativas, o Furacão se lançou ao ataque, acuou o Fluminense e chegou ao empate com Sidcley, aos 23, após cruzamento açucarado de Walter. Walter saiu contundido logo depois, mas o ritmo paranaense não diminuiu e o gol da virada parecia maduro por volta dos 30 minutos. Apenas parecia... De tanto buscar a vitória, o Atlético se abriu mais do que poderia e deixou espaços para uma rápida trama, já nos acréscimos, terminar com Fred, de peixinho, garantindo o triunfo tricolor.

Há pouco mais de um ano a Seleção sofria sua mais vergonhosa derrota. O pífio desempenho no dia dos sete gols germânicos e as decadentes atuações em todo Mundial fizeram de Fred o jogador mais detonado pelo fracasso canarinho. Naquele momento, seria desaconselhável apostar uma unha roída no seu ressurgimento. Porém, se alguém aproveitou a chinelada alemã para crescer, este alguém é o capitão tricolor. Desde então, neste último giro da Terra ao redor do Sol, Fred se sagrou artilheiro do Brasileiro de 2014, do Carioca de 2015 e tem jogado uma barbaridade neste primeiro terço de campeonato.

Comandante como jamais fora, afiado tecnicamente, seguro fisicamente e inteligente taticamente, Fred é, hoje, o mais confiante e decisivo centroavante brasileiro. Dunga, mais do que ninguém, sabe como é ser crucificado após uma Copa do Mundo e como é possível dar a volta por cima. Fred já faz por merecer a sua segunda chance.

Atlético Paranaense: Weverton; Eduardo, Vilches, Kadu e Natanael; Otávio e Jádson; Marcos Guilherme (Edigar Junio) (Sidcley), Ytalo e Nikão; Walter (Cléo). Técnico: Milton Mendes.

Fluminense: Diego Cavalieri; Wellington Silva (Renato), Gum, Antônio Carlos e Giovanni; Edson, Rafinha (Marlon), Gerson (Lucas Gomes) e Gustavo Scarpa; Marcos Junior e Fred. Técnico: Enderson Moreira.

Um comentário:

  1. Fabiano de Alencar da Conceição20 de julho de 2015 12:03

    O Sobrenatural de Almeida ajudou mais uma vez o Fluminense! O time tomou a pressão do Furacão e Fred mais uma vez decidiu.

    ResponderExcluir