quinta-feira, 16 de julho de 2015

COPA DO BRASIL 2015 – TERCEIRA FASE – NÁUTICO X FLAMENGO


Náutico 0 x 2 Flamengo – Arena Pernambuco, Recife (PE)

Com gols do garoto Jorge e do matador Guerrero, Flamengo bate Náutico em Recife e avança para as oitavas de final da Copa do Brasil.

Pela escalação inicial de um trio de volantes (Jonas-Cáceres-Canteros) e pela excessiva troca de passes horizontais foi possível perceber que o Flamengo, mesmo com a necessidade de balançar as redes, começou o embate querendo tirar a velocidade do jogo. Nem a entrada do avante Marcelo Cirino no lugar do contundido Jonas, aos 33, mudou a postura do Fla, que seguia cozinhando o Náutico em fogo baixo, fazendo a bola rolar daqui para lá, de lá para acolá, e, se possível, mas somente se possível, tentava uma jogada mais incisiva.

Em toda a primeira etapa, esta jogada mais incisiva rubro-negra apareceu em três oportunidades, duas com o Guerrero e uma com o Emerson Sheik. Bons lances, mas não o suficiente para superar a retaguarda pernambucana comandada pelo veterano Fabiano Eller, que, diga-se de passagem, jogou uma bola redondinha. Foi somente aos 5 minutos da segunda etapa, através de um avanço providencial e um arremate certeiro do lateral Jorge, que o Flamengo anotou o gol que precisava para se classificar. Isso, claro, se o Náutico não fosse às redes, pois o um a um levava o jogo às penalidades.

Sem alternativas a não ser atacar, o Timbu foi à frente. E mais, foi à frente como se não houvesse o amanhã. A partir do minuto 10, o treinador Lisca começou a empilhar novos atacantes em seu time e o Náutico, cheio de confiança e ímpeto, passou a criar chances de gols em profusão. Até o minuto 31 foram nada menos do que cinco oportunidades perigosas, mas a falta de pontaria e, principalmente, o goleiro César mantinham a vantagem flamenguista.

Foi neste cenário de pressão alvirrubra que, aos 33, Marcelo Cirino escapou em contra-golpe e rolou para Guerrero marcar o segundo tento flamenguista e fechar o caixão do Náutico, que não encontraria mais forças psicológicas para buscar uma necessária virada. Classificação garantida à parte, vale ressaltar que em pouco mais de uma semana o Flamengo já foi pego pela “Guerrerodependência”. Seria cômico se não fosse trágico...

Náutico: Julio Cesar; Guilherme (Josimar), Flávio, Fabiano Eller e Fillipe Soutto; Willian Magrão, João Ananias, Marino e Douglas; Rogerinho (Renato) e Stéfano Yuri (Bérgson). Técnico: Lisca.

Flamengo: César; Pará, Marcelo, Wallace e Jorge; Jonas (Marcelo Cirino), Cáceres (Márcio Araújo) e Canteros; Emerson Sheik, Everton (Arthur Maia) e Guerrero. Técnico: Cristóvão Borges.

Um comentário:

  1. Fabiano de Alencar da Conceição20 de julho de 2015 11:58

    Emerson Sheik e Guerreiro caíram como luva no ataque do Flamengo. Não sei como o Corinthians deixou os dois saírem pra gastar dinheiro com Wagner Love e Cristian.

    ResponderExcluir