quarta-feira, 13 de novembro de 2013

JOGOS INESQUECÍVEIS DO BRASILEIRÃO - INTERNACIONAL X ATLÉTICO MINEIRO - 1976


Internacional 2 x 1 Atlético Mineiro

Campeonato Brasileiro de 1976 – Semifinal

Beira-Rio, Porto Alegre (RS)

5 de Dezembro de 1976

Internacional: Manga; Batista, Figueroa, Marinho Perez e Vacaria; Caçapava, Jair e Falcão; Zé Maria (Escurinho), Dario e Lula. Técnico: Rubens Minelli.

Atlético Mineiro: Ortiz; Alves, Márcio, Vantuir e Dionísio; Toninho Cerezo, Heleno e Paulo Isidoro; Cafuringa (Paulinho), Marcelo e Bozó. Técnico: Barbatana.

Gols – Primeiro Tempo: Vantuir (Atlético Mineiro), aos 30’. Segundo Tempo: Batista (Internacional), aos 28’ e Falcão (Internacional), aos 45’.


Uma das viradas mais espetaculares do futebol brasileiro se deu no Beira-Rio, num domingo de verão de 1976. O espetacular não foi o resultado em si, pois foi uma virada mínima, por 2 a 1. Bom, amigos, mínima em termos de placar, pois em importância, dramaticidade e beleza ela foi enorme. Os problemas de joelho – sempre eles – tinham tirado o grande craque Reinaldo de ação, mas mesmo assim o Atlético Mineiro chegava forte à semifinal do Brasileirão de 1976. E o Galo pareceu mais forte ainda ao ignorar a pressão de 60 mil colorados e fazer um a zero em cruzamento de Toninho Cerezo e gol de cabeça do zagueiro Vantuir, aos 30 minutos do primeiro tempo. Como se não bastasse toda a tensão de uma disputa que vale vaga na finalíssima, o Inter agora se via lutando contra o relógio. A cada giro deste, aumentava o drama vermelho. E assim foi até os 28 minutos da etapa final, quando Batista soltou um foguete de fora da área para igualar o placar. O empate levaria a decisão da vaga para a disputa por pênaltis, e conforme o tempo regulamentar se aproximava do fim, crescia o nervosismo de atleticanos e colorados. Mas pouco antes do último trilar do apito, a pintura de uma das mais belas obras de arte da história do futebol brasileiro viria para decidir o duelo. Já nos acréscimos, Figueroa lançou Dadá Maravilha que, sem deixar a bola cair, desviou para Escurinho. Sempre com a pelota no ar, Escurinho deu de cabeça a Falcão que deu de cabeça a Escurinho que deu de cabeça a Falcão que mandou de perna direita para o fundo das redes. Estupendo! Um gol antológico para coroar uma virada inesquecível. 

3 comentários:

  1. E como as semifinais do Brasileirão, pararam o Atlético... Costumo dizer que o Atlético se tornou grande, ficando entre os quatro do campeonato brasileiro.

    ResponderExcluir
  2. O Inter teve suas grandes partidas nas campanhas do tri brasileiro sempre nas semi finais: Inter 2x0 na maquina tricolor em pleno maracanã em 1975, essa aí contra o galo e em 1979 o 3x2 contra o timaço do Palmeiras do Tele no morumbi, Palmeira que vinha metendo goleadas em vários rivais no paulista e no brasileiro

    ResponderExcluir
  3. O Inter teve suas grandes partidas nas campanhas do tri brasileiro sempre nas semi finais: Inter 2x0 na maquina tricolor em pleno maracanã em 1975, essa aí contra o galo e em 1979 o 3x2 contra o timaço do Palmeiras do Tele no morumbi, Palmeira que vinha metendo goleadas em vários rivais no paulista e no brasileiro

    ResponderExcluir