domingo, 13 de abril de 2014

FLAMENGO CAMPEÃO CARIOCA DE 2014


Flamengo 1 x 1 Vasco – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

Com gol irregular de Márcio Araújo nos acréscimos, Flamengo empata com Vasco e conquista o 33º título Carioca de sua história.

O cenário inicial do jogo era previsível. O Flamengo – como provavelmente faria qualquer time brasileiro atual ao começar uma partida em vantagem – se posicionaria em seu próprio campo à espera da brecha para contra-atacar. A bola, assim, ficaria a maior parte do tempo em pés vascaínos. Dito e feito. Durante não só todo o primeiro tempo, mas até Douglas abrir o placar, aos 30 minutos da etapa final, este foi o panorama do clássico.

Esquematizado com duas linhas de quatro, o Flamengo armou uma barreira em seu próprio campo. Uma barreira que esteve longe de ser intransponível, já que o Vasco conseguiu levar algo de perigo com William Barbio sobre André Santos, em bolas paradas e em arremates longos, mas que foi sólida o suficiente para manter o placar em branco.

Foi então que Chicão e André Rocha discutiram e o juiz mandou ambos mais cedo para o chuveiro. O jogo ficou mais aberto e melhor para o Cruz-Maltino e, aos 28, Erazo deu um carrinho na área imperdoável até para um sub-15, derrubou Pedro Ken e Douglas colocou o Vasco na frente. Com 15 minutos por jogar, o Fla teria que mudar completamente os seus planos.

Sem condições técnicas, táticas, físicas e psicológicas para pressionar de maneira consciente, o Flamengo partiu para o “bumba meu boi” e conseguiu acuar o adversário. O resultado veio nos acréscimos: Léo Moura cobrou escanteio, Wallace cabeceou na trave e Márcio Araújo, numa banheira daquelas com hidromassagem e tudo, empatou para dar o caneco ao Fla.
  
Sem dúvidas milhões de rubro-negros não estão nem aí para o fato de o gol do título ter sido ilegal. O saudoso flamenguista Ary Barroso mesmo era um que dizia que “o ideal de uma vitória sobre o Vasco para decidir campeonato é Flamengo 1 a 0 e gol feito com a mão, todo mundo vendo, inclusive o juiz, porque se o juiz não visse, não tinha graça nenhuma”.

Coincidência, ou não, o fato é que um torneio que começou sem prestígio, apresentou gramados pantanosos, times desinteressados, um regulamento feito nas coxas e uma média de público vergonhosa, termina mais manchado por um gol irregular.

Flamengo: Felipe; Léo Moura, Chicão, Wallace e André Santos (Nixon); Amaral (Gabriel), Márcio Araújo, Luiz Antônio e Paulinho; Everton (Erazo); Alecsandro.Técnico: Jayme de Almeida.

Vasco: Martín Silva; André Rocha, Luan, Rodrigo e Diego Renan; Pedro Ken e Guiñazu; Willian Barbio (Reginaldo), Pedro Ken e Fellipe Bastos (Bernardo); Thalles (Aranda). Técnico: Adilson Batista.

Um comentário:

  1. Até quando o Flamengo vai ser beneficiado por erros medonhos...

    ResponderExcluir